Hestnes Ferreira

Hestnes Ferreira (1931-2018) é autor do projeto do ISCTE, em Lisboa, da Casa da Cultura e da Juventude de Beja, entre outros. Foi Prémio Valmor em 2002. Foi ainda um dos fundadores do Departamento de Arquitectura da Universidade de Coimbra.

Bio

Raul Hestnes Ferreira nasce em Lisboa a 24 de novembro de 1931. Estudou Arquitetura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e do Porto. Filho do escritor José Gomes Ferreira, cresceu num ambiente político antifascista e ligado à escrita, à música e às artes.

Enquanto estudante no Porto, concilia o curso com o trabalho em atelier. Também ainda durante o curso vive um ano em Helsínquia, na Finlândia, tomando contacto com a obra de Aalto. Logo após terminar a licenciatura, em 1961, vai para os EUA durante 4 anos, obtendo o Master in Architecture. Lá tem igualmente a possibilidade de trabalhar 2 anos com Luis Kahn.

Assim, em entrevista à OA, Hestnes refere que as suas duas grandes referências da arquitetura moderna internacional são Kahn e Aalto. Com Kahn aprendeu que era possível conjugar a tradição clássica e o legado moderno.

Em Portugal, foi influenciado por Távora, e também por Keil do Amaral, amigo de longa data do seu pai e com contactou de perto na sua juventude. Destes apreende o respeito pela arquitetura tradicional portuguesa.

Arquitetura

Em 1965 regressa a Portugal, abrindo atelier próprio em Lisboa. Colabora com a Câmara Municipal de Lisboa, até 1971, bem como com a Câmara de Beja. Trabalha igualmente com a Direção Geral das Construções Escolares, entre 1970 e 1980.

A sua forma de projetar baseia-se no desenho, do geral ao máximo pormenor, de forma a alcançar um todo harmonioso.

Uma das suas primeiras obras é a casa de Albarraque, que desenha para o seu pai em 1960.

A sua carreira está ligada ao projeto de edifícios de ensino. É assim o autor da Escola Secundária José Gomes Ferreira, em Benfica, feita em 1974 e também da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.

Fotografia: wikipedia

Mas uma das obras mais conhecidas é o ISCTE, na Cidade Universitária de Lisboa, que lhe valeu o Prémio Valmor.

Fotografia: wikipedia

Para Beja, tem um conjunto de projetos que foram importantes do ponto de vista social e de recuperação de património. A Casa da Cultura de Beja é assim considerada uma das suas obras mais emblemáticas.

Hestnes Ferreira Beja

A Biblioteca de Marvila, em Lisboa, inaugurada em 2016, é a sua obra mais recente. Um trabalho de reabilitação desenvolvido a partir de um lagar de azeite preexistente e que foi preservado.

Biblioteca de MarvilaFotografia: C.M Lisboa

Atividade docente

Paralelamente exerce atividade docente. Lecionou na ESBAL, entre 1970 e 1972, e na Cooperativa Árvore do Porto, entre 1986 e 1988. Foi Professor Catedrático no Departamento de Arquitetura da Universidade de Coimbra, desde 1991 e 2003 e também no ISCTE de 2001 a 2003. Depois de 2010 leciona na Universidade Lusófona, em Lisboa.

Morreu a 11 de fevereiro de 2018.

Recordo-o nas aulas de projeto do 1º ano de arquitetura em Coimbra. Fazia questão de acompanhar os nossos trabalhos de perto, ajudando-nos a desenvolver as nossas ideias. Muitas vezes ficava noite adentro.

Prémios

  • Prémio Nacional de Arquitectura e Urbanismo em 1982
  • Prémio Nacional de Arquitectura em 1993
  • Prémio Valmor em 2002
  • 2007 Doutor Honoris Causa pela Universidade de Coimbra