Ponte pedonal do Vale da Carpinteira na Covilhã

A ponte pedonal do Vale da Carpinteira, na Covilhã, é um projeto do arquiteto Carrilho da Graça. O seu desenho minimal levou a que fosse considerada um dos locais de design mais interessantes do mundo.

 

Geograficamente a cidade da Covilhã ocupa a encosta sul da Serra da Estrela. Apresenta assim uma topografia difícil sendo cortada por dois íngremes vales, Carpinteira e Goldra. A sua arquitetura é marcada pela presença de grandes edifícios ligados à indústria de lanifícios, estando muitos deles atualmente ao abandono.

João Luís Carrilho da Graça desenhou a ponte pedonal que liga as abruptas vertentes do vale da Carpinteira. Ganha-se assim uma nova possibilidade de atravessamento entre a zona dos Penedos Altos e o centro da cidade. A sua construção, concluída em 2009, insere-se no Plano de Mobilidade da Cidade da Covilhã. A estrutura é do engenheiro Adão Fonseca.

É um sítio com uma vista magnífica, que convida a passeios, e que se encontra perfeitamente enquadrada na paisagem. É igualmente um objeto de design contemporâneo.

Desenho, um zizague na paisagem

A ponte pedonal apresenta um desenho minimal de grande beleza e leveza. Tabuleiro e pilares formam uma peça única. Assim, a ponte assume-se como um objeto escultórico entre as duas vertentes do vale. O revestimento exterior é em aço e o interior do tabuleiro, em U, é revestido a madeira.

A estrutura da ponte tem duas vigas paralelas, que formam o tabuleiro, apoiadas em quatro pilares. Os pilares centrais, de secção retangular, situados junto ao leito da ribeira, medem cerca de 40 metros e têm a largura do tabuleiro. Os outros dois, de secção circular, encontram-se junto à encosta. São em betão armado com um revestimento em granito que permite que a vegetação cresça em seu torno, fundindo-se assim visualmente com a encosta.

Em planta a ponte constitui-se numa linha curva de três tramos. Assim, a zona central constitui uma perpendicular à linha do vale. Os dois tramos de remate infletem em direção aos pontos de amarração. Possui 220m de comprimento e 4,40m de largura.

Percorremos pela primeira vez a ponte pedonal em 2017, no final de um dia de muito frio e chuva. O revestimento em madeira refletia as pessoas que rapidamente atravessavam. Apesar das condições atmosféricas adversas, a cor da madeira escurecida pela água transmitia calor. A altura da guarda lateral, igualmente em madeira, confere segurança.

arquitetura portuguesa carrilho da graça arquitetura portuguesa carrilho da graça

A revista Travel + Leisure, na edição de janeiro de 2011, classificou a ponte pedonal do vale da Carpinteira como um dos locais de design mais interessantes do mundo.

Publicado em 2017.02.07 | Revisto e republicado em 2018.11.11

error: