Soajo

Integrada no Parque Nacional Peneda-Gerês a vila do Soajo é conhecida pelo seu grande conjunto de espigueiros implantados num lajedo de granito.

 

Disse-nos com orgulho um dos habitantes, que ali não é Peneda nem Gerês, mas o Soajo. Na verdade o Parque Nacional Peneda-Gerês inclui as serras da Peneda, Soajo, Amarela e Gerês.

O Soajo pertence ao concelho de Arco de Valdevez, situando-se próximo da fronteira com Espanha. A vila aninha-se nas encostas da serra do Soajo. É um local onde se respira paz, se come bem, se pode desfrutar a natureza, com as suas lagoas e quedas de água, ou surpreender-se com o pastoreio livre.

A vila em si, é formada por um conjunto de estreitas ruas em lajedo de granito, algumas com levadas de água. A maioria das casas é de dois pisos, igualmente em granito. No largo central, o Largo do Eiró, encontramos a igreja e o pelourinho. Este, de data indeterminada, tem uma face no topo e é encimado por uma pedra triangular.

Mas, a atração principal do Soajo é o conjunto de 24 espigueiros implantados sobre um grande lajedo de granito.

Espigueiros do Soajo

Os espigueiros são pequenas construções em pedra que serviam para o armazenamento de cereais. Encontram-se sobrelevados relativamente ao solo e possuem cobertura de duas águas em telha. Os pilares de suporte possuem no cimo uma espécie de roda em pedra, que impede, assim, a entrada de roedores. A existência de frestas nas paredes laterais permitem a livre circulação de ar. Ao cimo uma cruz, símbolo de agradecimento pela boa colheita.

Soajo

No Soajo, os 24 espigueiros implantam-se numa grande laje de granito. Funcionam, assim, como uma eira comunitária. O mais antigo data de 1782, sendo os restantes do século XIX. O conjunto encontra-se bem preservado e alguns ainda mantêm a sua função. Este local oferece-nos, simultaneamente, uma vista abrangente sobre a envolvente.

Soajo

 

Soajo  Soajo

arquitetura portuguesa

 

error: