Terminal de Cruzeiros de Lisboa

O Terminal de Cruzeiros do Porto de Lisboa é um projeto da autoria do arquiteto João Luís Carrilho da Graça. A volumetria paralelipipédica, construída numa composição inovadora de betão com cortiça, parece levitar. A cobertura em terraço permite usufruir das vistas desta área junto ao Tejo.

 

Arquitetura

O Terminal de Cruzeiros de Lisboa foi criado de raiz e inaugurado em 10 de novembro de 2017. O projeto é do arquiteto João Luís Carrilho da Graça, que venceu o concurso público internacional de ideias lançado pelo porto de Lisboa em 2010.

O conjunto é formado pelo edifício do terminal, uma passerelle de acostagem, um tanque de marés e uma ampla área de espaço público, que inclui área verdes e estacionamento e que estabelece a ligação entre o porto e a cidade.

O Terminal de Cruzeiros é um edifício objeto, de forma retangular e cor terrosa clara, dada pela materialidade: uma inovadora mistura de betão com cortiça. Este material apresenta um menor peso estrutural, bem como um melhor desempenho térmico e acústico do que o betão convencional.

O corpo em betão, cego nas fachadas laterais, parece levitar, uma vez que não toca o solo. No piso térreo, numa posição recuada, a fachada em vidro, cinza, contrasta com a volumetria em betão e reflete a encosta de Alfama.

A cobertura, em terraço, é de acesso livre, constituindo-se, assim, num prolongamento do espaço de uso público. Oferece uma vista panorâmica sobre a encosta de Alfama e o estuário do rio, conhecido como Mar de Palha.

A linguagem é minimal. Por outro lado, a escala e leveza do edifício tornam a sua presença discreta e harmónica com a envolvente.

Este projeto assume-se igualmente como uma oportunidade de regeneração urbana, abrindo mais uma possibilidade de aproximar a cidade do rio.

Terminal de Cruzeiros de Lisboa

 

Terminal de Cruzeiros de Lisboa

O projeto obteve o Prémio Valmor 2017 e foi um dos finalistas do prémio Mies Van der Rohe 2019.

 

+INFO

Carrilho da Graça